Plantas E Ervas Para Sonho Lúcido


Durma mais profundamente; navege seus sonhos com consciência e lembre-se dos sonhos no dia depois com esses aliados naturais
dream herb cabbanis
Photo by – Diane Picchiottino

Se você é como eu, deve adorar explorar os seus sonhos. Cada um dos personagens, eventos e cenários são parte de seu subconsciente que normalmente se mantêm escondidos da nossa consciência acordada. No processo de auto-desenvolvimento, ter acesso à inteligência do nossa mente subconsciente é extremamente valioso.

Sonho lúcido é uma forma de exploração do subconsciente que tem ganhado popularidade no nosso contexto moderno mas que já faz parte da história humana desde civilizações anciãs, como nos rituais de sonhos que ocorriam no Egito antigo, na civilização Maya e até em tribos indígenas na Amazônia.

Nesse artigo vamos falar sobre aliados naturais que eram partes centrais desses rituais de sonhos que ocorriam em tempos ancestrais. Algumas dessas ervas auxiliam na qualidade do sonhos; outras dão uma qualidade diferenciada ao sonho que ajuda o participante a se emergir de forma consciência; e ainda, algumas dessas plantas podem ajudar o participante a se lembrar melhor de seus sonhos depois de acordar.

Ervas, Raízes e Sementes Que Estimulam o Sonho Lúcido

1. Calea zacatechichi

A Erva dos Sonhos” or “Folha De Deus

erva dos sonhos calea zacatechichi

A Calea zacatechichi é conhecida como a erva dos sonhos e é nativa do México e muito popular na tribo dos Chontal, que usavam essa planta para receber mensagens de divinação e visões em seus sonhos¹. Essa planta tem um poderoso poder de induzir sonhos e deve ser consumida com consciência e respeito.

Propriedades
  • É uma das mais famosas e poderosas ervas oneirogênicas (que quer dizer “criação de sonhos”);
  • Os sonhos se tornam mais vívidos, coloridos e claros imediatamente, ou depois de alguns dias de uso;
  • A habilidade do participante de se lembrar dos sonhos melhora;
  • Promove uma boa noite de sono;
  • Aumenta a chance do participante engajar em um estado de sonho lúcido;
calea erva dos sonhos sonho lúcido
Flór da Calea zacatechichi
Como consumir?

A forma tradicional de consumir a planta em contexto tribal era consumir um chá feito com as folhas de Calea e depois os particantes fumavam a folha seca. Esse ritual se repetia todos os dias por pelo menos uma semana, quando os efeitos costumavam se tornar mais aparantes.

  • Vaporizado;
  • Fumado;
  • Infusão Em Chá;

O sabor do chá das folhas da Calea é amargo e o sabor pode ser desafiador para algumas pessoas. A erva dos sonhos é comumente consumido com mel.

Legalidade

Essa planta é legal no Brazil e Portugal;


2. Silene capensis

“Raiz do Sonho Africana”

sinele capensis dream herb

Um sinónimo é Silene undulata e também é conhecida como a Raiz do Sonho Africada. Essa planta é nativa da costa da Africa do Sul e é considerada uma planta sagrada para a tripo Xhosa, que associava o seu uso a outras raízes, ervas e trepadeiras na preparação da bebida sagrada de limpeza de corpo e mente chamada Ubulawu².

Propriedades
  • Assim como a c.zacatechichi, é uma das ervas onoirogênica mais populares;
  • Aumenta a intensidade dos sonhos;
  • Melhora a habilidade de se lembrar dos sonhos;
  • útil para chegar ao estado de sonho lúcido;
  • Os efeitos podem levar alguns dias para serem sentidos;

Em uso tradicional, a s.capensis era misturada com outras raízes e plantas em um ritual preciso. Um dos propósitos desse ritual era criar uma coneção através dos sonhos com espíritos ancestrais com o objetivo de receber sabedoria.

silene capensis erva dos sonhos
Como Consumir?

A parte mais usada são as raízes que são ressecadas, trituradas e mexidas com vigor na água fria até que se forme uma espuma.

A Bebida tradicional “UBULAWU” e o ritual de purificação

O termo ‘ubulawu’ se refere às raízes de uma variedade de ervas e trebadeiras e algumas vezes no tronco de algumas plantas (Hirst 1990) que são tritruradas e misturadas com água fria com um graveto para produzir uma espuma. Essa espuma é típica do ubulawu. As espécies de Ubulawu são classificados pelos adivinhos da tribo Xhosa de acordo com o local em que elas crescem, ou seja, existe o ubulawu do rio, da floresta, etc… (Hirst 199).

As preparações do Ubulawu são usadas nos rituais de iniciação dos adivinhos dessa tribo são consumidas como uma infusão até que o estômago do iniciado esteja cheio e eles estejam prontos para vomitar. Depois o vômito é induzido, e esse processo é chamado de Ukugabha (Xhosa) (Lhamla, 1975). A espuma da preparação é usada para limbar o corpo, normalmente na tarde da noite (Lamla, 1975). Ambos o vômito e a lavada do corpo com a estuma são formas de remover impurezas (Hirst, 2005). O processo do võmito tem um efeito fisiológico que afeta o processo do sonho (…)

Jean-Francois Sobiecki B.Sc. Hons. EthnoBot (2012) “Psychoactive Ubulawu Spiritual Medicines and Healing Dynamics in the Initiation Process of Southern Bantu Diviners

3. Entada rheedi

“Erva do Sonho Africana”

A Entada rheedii é um cipó perenial que cresce amplamente em muitos países perto do Oceano índico: da Africa do Sul até a Índia, Australia e muitas regiões da Asia. Muitas culturas integraram Entada rheedii em suas medicinas tradicionais.

A vagem da semente da E.rheedii podem chegar a 1.5 metros (!), e cada uma dessas vagens contains dezenas de grandes sementes.³

pROPRIEDADES
  • Como a C.zacatechichi e a S.capensis que discutimos acima, a Entada Rheedii tamém é uma poderosa planta oneirogênica;
  • Capacidade de intensificar os sonhos;
  • Torna os sonhos mais claros;
  • Auxilia no sonho lúcido;
Como consumir

A parte mais comunmente usada para melhorar a qualidade dos sonhos é a ‘carne’ branca dentro da semente. Essa parte interna da semente da E.Rheedii pode ser consumida diretamente, ou cortada, ressecada e misturada com outras ervas.

Dependendo do propósito, as preparações treadicionais da E.rheedii variam bastante. Quando usadas para induzir sonhos lúcidos, e comunicação com o mundo dos espíritos, a carne interna da semente pode ser consumida diretamente ou misturada com outras ervas como tabaco e fumada antes da hora de dormir.

Virapongse 2006
(from http://entheology.com/plants/entada-rheedii-african-dream-herb/)

4. Nymphea caerulae

“Lótus Azul”

blue lotus nymphea caerulae

A Lótus Azul, Nymphaea caerulea, pode ser encontrada em várias regiões da África, especialmente nas áreas próximas do rio Nilo, no Egito onde a Lótus Azul é considerada uma planta sagrada. Tradicionalmente, as flores são consumidas puras ou misturadas, servindo como tranquilizante e promotora de uma boa noite de sono.

Dessa lista da Cabbanis, a Lótus Azul é menos conhecida como planta que induz o sonho, porém, evidências como o registros em texto e esculturas no Egito ancestral, indicam que o povo Egípcio viam a flor de da Lótus Azul como uma facilitadora na comnunicação humana com o mundo dos espíritos.

blue lotus picture dream lucid
Blue Lótus
Propriedades
  • Promove sonos profundos;
  • Promove uma maior qualidade no sonho;

Outros benefícios includem anti-oxidante, efeitos afrodisícaco (e usado em rituais de fertilidade no Egito antigo). Esses efeitos são provavelmente relacionados com a grande presença de alkaloids.

Nymphaea caerulea contém apomorphine, a dopamine agonista, assim como nuciferine, nupharine e nupharidine. As flores também mostraram uma grande variedade de alkaloids, incluindo kaempferol, que tem propriadades MAOI. 5) 

Voogelbreinder 2009, 247

Apomorphine tem sido descrito como um alkaloid psicoativo e é um “non-selective dopanine agonist” que é usado para tradar o mal de Parkinson, pois estimula os receptores de dopamina e melhora a função motora. Nuciferine é um alkaloide associado com o bloqueio dos receptores de dopamina(6).

Justin L. Poklis et al, 2017
Como consumir

A Lótus Azul pode ser vaporizada, fumada, preparada em chá com água, preparada com infusão com vinho e bebidas alcóolicas.

Legalidade

É Legal no Brasil e em Portugal.

Leia mais no site da House of Exotic Genetics, esse texto foi originalmente escrito em Inglês por Arianna Lusardi:

Reference

  1. J. L. Dı́az, “Ethnopharmacology and taxonomy of Mexican psychodysleptic plants,” Journal of Psychedelic Drugs, vol. 11, no. 1-2, pp. 71–101, 1979.
  2. Jean-Francois Sobiecki B.Sc. Hons. EthnoBot (2012) “Psychoactive Ubulawu Spiritual Medicines and Healing Dynamics in the Initiation Process of Southern Bantu Diviners“, Journal of Psychoactive Drugs, 44:3, 216-223, DOI: 10.1080/02791072.2012.703101
  3. M. M. Okba, F. M. Soliman, K. S El Debb, M. F. Yousif “Botanical study, DNA fingerprinting, nutritional values and certain proximates of Entada rheedii Spreng” International Journal of Pharmacy and Pharmaceutical Sciences, vol 5, suppl 3, 2013
  4. Virapongse, A. 2006. Ethnomedicine and Materia Medica Used by Kui Traditional Healers in Northeast Thailand. Khon Kaen University
  5. Voogelbreinder, Snu, Garden of Eden: The Shamanic Use of Psychoactive Flora and Fauna, and the Study of Consciousness. Snu Voogelbreinder, 2009.
  6. Justin L. Poklis, B.S., Haley A. Mulder, B.S., Matthew S. Halquist, Carl E. Wolf, Alphonse Poklis, and Michelle R. Peace “The Blue Lotus Flower (Nymphea caerulea) Resin Used in a New Type of Electronic Cigarette, the Re-Buildable Dripping Atomizer” JOURNAL OF PSYCHOACTIVE DRUGS 2017, VOL. 49, NO. 3, 175–181

Sitography:

  • http://entheology.com/plants/entada-rheedii-african-dream-herb/
  • http://entheology.com/plants/nymphaea-caerulea-blue-lily-blue-lotus/